Consumidor pode cancelar viagem em virtude do vírus zika, diz Procon

Órgão de defesa do consumidor aponta que cancelamento pode acontecer sem multa ou quaisquer outros prejuízos financeiros
Preservação da saúde do passageiro é justificativa
(Foto: Agência Brasil)
As companhias aéreas deverão, primeiramente remarcar sem custo os bilhetes e dependendo do caso até reembolsar os valores pagos aos consumidores, sobretudo mulheres grávidas.

“Os consumidores não vão deixar de viajar porque querem. É uma questão de força maior, saúde pública mundial e até de bom senso”, afirma Ney Lopes Jr.

O diretor do PROCON/RN diz que um dos pilares do Código de Defesa do Consumidor é a preservação da saúde e integridade física dos consumidores.

A Organização Mundial da Saúde e o Centers of Disease Control and Prevention orientam que estas viagens sejam evitadas neste período de epidemia.

Comentários