FILHO DE FHC TAMBÉM TEM OFFSHORE NO PANAMÁ

Reportagem da revista Carta Capital desta terça-feira, 4, mostra que Paulo Henrique Cardoso, filho do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso manteve empresas offshores no Panamá e no Reino Unido, além de uma sociedade com o ex-braço direito do presidente argentino Mauricio Macri que se suicidou em meio a um escândalo de corrupção.

Paulo Henrique Cardoso manteve durante uma década negócios com a Braskem, uma sociedade entre a Odebrecht e a Petrobras, por meio da World Wide Partnership Importação e Exportação (WWP), empresa de comércio de produtos petroquímicos.

"FHC assinou em novembro de 1995 a emenda constitucional que acabou com o monopólio da Petrobras. No mesmo ano, a Odebrecht fundou a OPP Petroquímica. Em janeiro de 1998, FHC criou a Agência Nacional do Petróleo e entregou a presidência ao genro David Zylbersztajn. Um ano depois, nasce a WWP. No período, 27 empresas do ramo petroquímico foram privatizadas, com amplo financiamento do BNDES, o banco estatal de fomento", diz a matéria.

Mostrando documentos de constituição das empresas do filho do x-presidente tucano, a reportagem afirma que Paulo Henrique Cardoso tem em sociedade com o pai uma companhia no Reino Unido, a Ibiuna LLP, datada de 30 de março de 2009. Ibiuna é uma referência à cidade no interior paulista onde fica a fazenda na qual o ex-presidente descansava durante o mandato.

Através do iFHC, Paulo Henrique Cardoso limitou-se a dizer que "não faz parte mais da WWP e que a Ibiuna já foi encerrada. São negócios privados, todos devidamente declarados à Receita Federal", ignorando o questionamento sobre a offshore do Panamá.

Leia aqui a reportagem na íntegra.

Comentários