Homem se casa com duas mulheres de papel passado, e no BRASIL.

Foto: Marcelo Carnaval
Um pagode de sucesso dos anos 90, do grupo Boka Loka, falava que para ter duas paixões não tem jeito: só tendo dois corações no peito. A máxima, no entanto, não funciona para o funcionário público Leandro Jonattan da Silva Sampaio, de 33 anos, a dona de casa Thais Souza de Oliveira, e a estudante Yasmin Nepomuceno da Cruz, as duas de 21.

A paixão uniu o trio, e a história, de três anos de namoro, deu numa união estável poliafetiva, a primeira na cidade, registrada no 15º Ofício de Notas.

— É muito normal as pessoas se apaixonarem por mais de uma pessoa. A diferença é que no poliamor você une todas as pessoas e não precisa mentir — observou Leandro, que mora em Madureira com as duas mulheres: — Já tenho uma filha de três anos com Thais e estamos planejando mais um, agora, com Yasmin.

A união foi oficializada na Justiça na última sexta-feira, como noticiou a coluna de Ancelmo Góis, no jornal “O Globo”. 

Mas o relacionamento é antigo. Leandro conheceu Thais há cinco anos. Ele era casado e a jovem entrou para o relacionamento. O funcionário público acabou se separando da primeira mulher e, em 2013, conheceu Yasmin:

— Eu falei que vivia esse tipo de relacionamento, ela se interessou, conheceu a Thais e a coisa foi fluindo.

Preconceito, diz ele, o trisal (palavra que equivale a casal em uma relação de três pessoas) não encontra na rua.

A resistência é dentro de casa. As mães das meninas não falam com Leandro. A família dele já aceita melhor.

— Nós vamos para todos os lugares que um casal convencional vai — diz.

Leandro conta que não sabe se entraria em um relacionamento com outro homem e uma mulher.

Ele explica que é hétero, enquanto Thais e Yasmin também se relacionam entre si. O rapaz não sabe dizer se a conta está fechada com três pessoas. Thais, no entanto, já avisa que sente ciúme dos dois:

— Sentirei ciúme dos dois de qualquer pessoa que aja com falta de respeito. Eles são meu marido e minha mulher. O relacionamento é fechado. *Extra – O Globo

Comentários