Intolerância religiosa no Brasil é o tema da redação do Enem 2016

Candidatos precisarão escrever sobre "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil". Tema social é uma constante no Enem

O Ministério da Educação divulgou no início da tarde deste domingo, logo que os portões foram fechados para que as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 tivessem início, o tema da redação. Neste ano, os candidatos precisarão escrever sobre "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil". O texto deve ser dissertativo-argumentativo e ter, no máximo, 30 linhas.

Leia mais:
Enem 2016 exige mais raciocínio e interpretação e menos conteúdo, avaliam professores
Enem 2016: confira o gabarito extraoficial do primeiro dia

O tema mantém o padrão das provas de apresentar um tema social sobre o qual milhões de jovens e adultos devem pensar. No ano passado, "A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira" foi o tema, exigindo dos alunos que, além de uma análise sobre o problema, contribuíssem com uma proposta de intervenção, pensando em uma possível solução.

#Enem2016 l E o tema da redação é:

Na proposta deste ano, a professora do Universitário Maria Tereza Faria não vê tanta abertura para a polêmica quanto no ano passado, quando o "feminismo" da prova foi alvo de algumas críticas. Mais de 53 mil candidatos tiraram nota zero na redação em 2015.

— Acho que é um tema que não traz tantos riscos para os candidatos. Mesmo quem nunca tenha trabalhado esse assunto pode fazer uma dissertação, pelo menos, mediana. Não é um tema que surpreenda.

As provas do Enem são compostas por quatro provas objetivas, com 45 questões de múltipla escolha cada, e uma redação. Os 8 milhões de candidatos inscritos para fazer a prova neste domingo precisarão, além de redigir um texto dissertativo, responder perguntas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias.

A proposta de redação do Enem sempre vem acompanhada de textos que podem servir de motivação para que os candidatos elaborem seus próprios textos. No entanto, o estudante não deve se restringir às ideias ali apresentadas, copiar trechos ou torná-los parte de sua argumentação. Tais procedimentos podem fazer com que o candidato perca pontos na avaliação de competências. Aquele que fizer qualquer brincadeira ou deboche vai tirar zero.

As redações serão avaliadas de acordo com cinco competências: domínio da norma-padrão da língua escrita, compreensão da proposta da redação e aplicação de conceitos de diversas áreas do conhecimento para desenvolver o tema; capacidade de selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações para defender um ponto de vista; conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação e elaboração de proposta de intervenção ao problema abordado, respeitando os direitos humanos.  fonte: http://zh.clicrbs.com.br/

Comentários