Documento do Inter ao STJD define caso Victor Ramos como 'má-fé'

© Reprodução/ESPN.com.br Daniel Cravo, advogado do Inter
O advogado Daniel Cravo, representante do Internacional, afirmou na noite desta-sexta-feira que o clube colorado não agiu de má fé ao buscar o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e que provará que os documentos do "Caso Victor Ramos" encaminhados ao órgão são legítimos; Foi uma resposta à CBF, que um pouco mais cedo encaminhou ao STJD uma denúncia por suposta falsificação de documentos.

"Ninguém praticou uma ação frívola aqui", disse Cravo em entrevista coletiva. "Em uma empreitada jurídica tão seria como essa, ninguém aqui vai apresentar uma demanda de subtração de pontos sem que haja fundamento para isso. Há muito fundamento. A gente sabe quando está entrando em uma aventura jurídica e quando tem fundamento."

O advogado reforçou o que já havia dito o presidente do Internacional, Vitorio Piffero, um pouco mais cedo. "Temos uma notícia de estrema gravidade que coloca em cheque o Inter. Não só a nossa reputação, mas acima da reputação essa notícia merece todo o esclarecimento pelo tamanho dela."

Cravo disse que o jurídico do Internacional vai entrar com uma defesa contra a acusação da CBF até a próxima quarta-feira. "A consequência desse posicionamento [da CBF] coloca em cheque se o Internacional tomou uma atitude de ma fé. Quero deixar claro que o Internacional defende a autenticidade dos documentos com a maior tranquilidade. Vieram de uma fonte absolutamente fidedigna. O conteúdo dos documentos não pode ser deixado de lado. São autênticos. É muito coerente com outros documentos que tem no processo."

O advogado voltou a rebater durante a entrevista as afirmações de que o clube teve má fé ao buscar uma punição ao Vitória no STJD. "O Internacional tem um bom direito para defender e jamais atuou de má-fé", disse. "A manifestação da CBF é muito sucinta, não fica claro. O Inter está tranquilo, recebeu um documento e juntou nos laudos."

Entenda o caso:

O Internacional denunciou o Vitória no Superior Tribunal de Justiça Desportiva pedindo a reabertura de investigação sobre a suposta inscrição irregular do defensor contratado por empréstimo pelo Vitória ao Monterrey-MEX nesta temporada. Os cartolas colorados pediam a retirada dos pontos do clube nos 26 jogos em que ele atuou.

No processo, eles acusavam a CBF de ter distorcido carta e induzido a Fifa em resposta a consulta e o Vitória de "dolo e má fé para burlar regulamento".

Na última quinta-feira, o procurador do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), Glauber Guadelupe, decidiu pelo arquivamento do caso, "entendendo não haver elementos suficientes para comprovação de violação as regras disciplinares nacionais".

Comentários

  1. O inter tem que honrar a sua dignidade e da nação colorada, indo até a última instância no caso vitor ramos.se fosse o inter com jogador irregular já teria sido julgado e condenado com a perda dos pontos.o que querem, querem o inter calado para ajudar a abafar as falcatruas da CBF.inter ate o fim neste caso.

    ResponderExcluir

Postar um comentário