Operação Lei Seca e PRF realizam blitzen conjuntas na zona norte

Ao todo, 53 motoristas foram autuados por dirigir sob efeito de álcool.

O combate a mistura álcool e direção foi intensificado na madrugada deste domingo (18), com uma ação integrada de fiscalização promovida na zona norte pela operação Lei Seca do Detran e pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

As blitzen foram montadas em dois pontos distintos. Ficando a equipe do Detran na avenida João Medeiros filho, em frente a antiga Caixa Econômica, e a PRF na avenida Tomaz Landim, após a descida do viaduto da zona norte.

Na área de competência dos policiais da Lei Seca do Detran foi registrada a prisão de um homem por porte ilegal de arma. O mesmo conduzia uma motocicleta quando foi abordado pelos policiais, sendo logo em seguida encontrada na cintura do condutor uma pistola de Airsoft, arma normalmente utilizada para diversão. Porém, não possuía a ponta laranja, o que a identifica como arma não letal. “Como ela é idêntica a uma arma real e estava sendo portada na cintura fica caracterizado o crime análogo ao porte ilegal de arma”, relatou o coordenador da Operação Lei Seca, capitão Isaac Paiva.

Outro fato registrado na madrugada de fiscalização foi a fuga de um condutor, que logo ao entrar na fila de fiscalização abandonou o veículo no meio da avenida e saiu em fuga a pé, deixando diversos pertences no interior do automóvel. “Nesse caso não conseguimos capturar o motorista em virtude do fluxo intenso de carros, mas o veículo dele foi apreendido e guinchado. Verificamos se havia queixa de roubo, mas o mesmo estava sem impedimento”, explicou o capitão Isaac.

No total, os policiais da Operação Lei Seca do Detran flagraram 53 condutores dirigindo sob a influência de álcool, sendo cinco motoristas detidos por crime de trânsito e conduzidos para Delegacia de Plantão. Nessa situação, o condutor além ser punido administrativamente com multa de R$ 2.934,70 e ter o direito de dirigir suspenso por 12 meses, responderá penalmente por crime de trânsito podendo ser condenado a prisão de seis meses a três anos.  nonoticias

Comentários