POLÍCIA - Prisão de tenente Melissa revolta Bombeiros do País

Oficial enfermeira é presa em cela no quartel do Humaitá simplesmente por não ter condições de saúde para dar continuidade ao serviço, mesmo tendo informado ao médico coordenador da regulação suas debilidades de física e emocionais.

Essa é uma daquelas histórias de enojar. Era só questão de tempo para que um militar que corre na ambulância do SAMU tombasse, mas o pior não é tombar, mas sim ser empurrado para o buraco por aqueles que deveriam acolher. O tratamento dispensado à Tenente Melissa foi CADEIA.

Melissa, tenente enfermeira do CBMERJ, neste último final de semana, correndo na ambulância de campo grande (quem conhece sabe que é chapa muito quente) depois de várias ocorrências no dia, informou ao médico coordenador da regulação do SAMU que não estava bem e não poderia dar continuidade ao serviço. Solicitou ajuda, havia chegado no seu limite. Do outro lado da linha o médico frio, um tanto quanto sarcástico, desacreditou dos relatos da militar, desconsiderou seu histórico clínico de síndrome de esgotamento e tratamento de depressão (faz uso de fluoxetina, Clonazepam e imipramina uso regular) e determinou que a mesma continuasse. Imediatamente se negou, agora ela é quem precisava de socorro. Quando regressou ao quartel recebeu do oficial de dia voz de prisão por insubordinação vinda por ordens superiores (Cel Simas). Ainda tentaram convencê-la de ir para o evento seguinte a fim de amenizar, porém a Ten Melissa não tinha a menor condições e não foi. 

Conduziram na até a corregedoria, lavraram o auto de prisão em flagrante (mesmo alegando necessidade de atendimento médico e apresentando sintomas diversos) prometeram levá-la até a psiquiatria, contudo jogaram na numa cela insalubre no quartel do Humaitá com água potável somente na garrafa.

SOS BOMBEIROS: COVARDIA COM REQUINTE DE CRUELDADE é a melhor frase para definir tal situação. Uma militar que adoeceu por conta de um sistema falido (SAMU) que atende todo tipo de mazela sem as mínimas condições para seus profissionais (Não se alimentam direito, não descansam, não dormem, sobrecarregados em atendimentos, sob pressão imposta por um regulamento que dá poder aos covardes, viaturas precárias que põe toda a guarnição em risco).

Necessitam de tratamento e não encontram; salário atrasados; sem perspectiva de progressão na carreira; essa é a realidade dos profissionais da saúde na corporação. Precisam ser os super homens e ofertar saúde à população quando na verdade estão doentes, oprimidos pelos seus comandantes desumanos que só visam seus interesses lucrativos nos "esqueminhas", utilizando a mão de obra barata dos profissionais que sobrevivem serviço a serviço.

A tenente Melissa NÃO É CRIMINOSA ela é vítima de um sistema doente, corrupto e covarde que a levou a adoecer também, sobrando para a parte mais frágil (militares da ponta) os danos.

Soltem a Ten Melissa imediatamente!

Pelo amor de Deus! Cuidem dos seus bombeiros. Não os matem!
Menos ambição e mais consideração aos nossos heróis. Ela precisa de amparo e tratamento médico
.

Comentários