PRF registra mais de dois mil acidentes durante festas de fim de ano

Entre 23 de dezembro de 2016 e 01 de janeiro de 2017, a Polícia Rodoviária Federal contabilizou 2.769 acidentes em rodovias federais, dentre eles 500 acidentes graves. Nesse período, a PRF reforçou o efetivo em locais e horários críticos com objetivo de reduzir a violência no trânsito. O trabalho fez parte da Operação Rodovida, que começou no dia 16 de dezembro e se estenderá até início do mês de março.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 2.769 acidentes nas rodovias federais que cortam o Brasil durante as festas de final de ano – Natal e Ano Novo. Os números foram contabilizados no período de 23/12/2016 até o último domingo, 01/01/2017.

De acordo com os números, os acidentes resultaram em 2.868 feridos e 225 mortos. Durante o período, do total de acidentes 500 (quinhentos) foram acidentes graves – que são aqueles onde se resultam pelo menos um ferido grave ou um óbito.

COMPARATIVO – As festas de fim de ano entre 2015 e 2016 foram em período distinto das festas do período entre 2016 e 2017. No ano anterior os deslocamentos em rodovias federais em razão dos festejos de final de ano começaram no dia 23 de dezembro de 2015, caindo em uma quarta-feira, situação igual ao período de ano novo, onde o dia 31 de dezembro de 2015 foi uma quinta-feira.

Já em 2016, as festas se concentraram nos finais de semana, com festejos de Natal e Ano Novo sendo comemorados na noite do sábado para domingo.

Assim, utilizando os períodos que englobam os deslocamentos iniciais (considerado 23 de dezembro em ambos os anos) e os deslocamentos finais pós final de ano (ano passado, domingo 03 de janeiro, e este ano domingo 01 de janeiro), tem-se uma média diária de 25 óbitos em 2015/16 e de 22,5 óbitos em 2016/17, registrando uma diminuição de 10% na comparação entre as médias diárias dos dois períodos. O mesmo acontece com acidentes graves, onde se tem uma média diária de 68,2 acidentes graves em 2015/16 e 50 em 2016/17.

FISCALIZAÇÃO – Ao todo, policiais rodoviários federais realizaram 62.419 testes de alcoolemia em todo o país, o que resultou em 223 pessoas detidas. Vale destacar que dirigir sob influência de álcool é um dos principais fatores que causam acidentes graves, aqueles com maior risco de morte para os motoristas.

Em todo o Brasil, a PRF fiscalizou 176.863 veículos e 196.000 pessoas durante o período de festas de Natal e Ano Novo. Também foram contabilizados 77.489 autos de infração.

EXCESSO DE VELOCIDADE – Um dos focos da ação de final de ano foi na prevenção do excesso de velocidade, que é uma conduta potencializadora da gravidade dos acidentes de trânsito. Os radares de velocidade da PRF registraram imagens de 83.311 veículos transitando com excesso de velocidade em rodovias federais durante o período de final de ano.

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO – Além do patrulhamento ostensivo, a PRF também promoveu ações educativas buscando sensibilizar motoristas e passageiros de seus papéis na construção de um trânsito mais seguro, atingindo 29.638 pessoas durante as ações de final de ano. Durante as fiscalizações, em alguns postos, condutores flagrados cometendo alguma infração foram abordados e, enquanto aguardaram os procedimentos, foram convidados a assistir a vídeos que mostram comportamentos inadequados no trânsito e as consequências dessas condutas.

RODOVIDA – A Operação tem por objetivo prevenir acidentes e diminuir a violência no trânsito nas rodovias federais durante o período de fim de ano, férias escolares e Carnaval, quando o movimento nas estradas é intenso. Ocorrendo simultaneamente em todo o Brasil, começou em 16 de dezembro de 2016 e segue até início do mês de março de 2017, a Rodovida tem como prioridade a atuação em pontos críticos das rodovias federais. Esses pontos foram elencados por meio de análises de dados estatísticos que apontam trechos com maior necessidade de reforço na fiscalização.

RIO GRANDE DO NORTE – Foi percebida uma diminuição de acidentes graves e mortos durante as festas em rodovias federais no RN. Para se comparar, tomando-se o período entre os dias 23 dezembro e 1º de janeiro, houve redução na gravidade e no índice de acidentes. A PRF acredita que isso aconteceu devido às datas, que não ocorreram em fim de semana prolongado, e também ao esforço de fiscalização e educação, intensificado no período medido.

Fato curioso nas fiscalizações no Rio Grande do Norte foi o maior número de flagrantes de passageiros que não usaram o cinto de segurança do que o de motoristas: 56 contra 38. Além de colocar a própria pessoa em risco, coloca também em perigo os demais no interior no veículo. Além disso, provoca a multa de trânsito que é imputada ao motorista, conforme o artigo 167 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). De natureza grave, o condutor leva 5 pontos na carteira e multa de R$ 195,23.

Comentários